Total de visualizações de página

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Como implantar um meliponário (experiências do autor)

COMO IMPLANTAR UM MELIPONÁRIO (EXPERIÊNCIAS DO AUTOR)
Neste artigo procuro relatar a minha experiência pessoal e mostrar as pessoas que estão inclinadas a implantar um meliponário quer seja na area urbana como  rural, os cuidados que devem ser observados de modo a que o investimento em infraestrutura e na obtenção das abelhas não sejam perdidos e o meliponicultor  se sinta feliz e realizado.

Vale ressaltar que não abordo aspectos de ordem econômica, retorno financeiro, etc., mas sim o sucesso na implantação do meliponario e na sua continuidade e propósito;
a)       Que tipos de ASF devem fazer parte do meliponário;
Para um iniciante é necessário identificar quais são os tipos de ASF que existem naturalmente no ambiente da sua região, levando sempre em consideração aspectos relacionados com a temperatura e a umidade, além do pasto apícola que vai estar disponível na região por exemplo em um raio de 1Km ao redor do meliponário.
Existem criadores que não havendo disponibilidade de alimento natural (pólen e néctar)que possa ser retirado das flores, alimentam as suas abelhas com mel de APIS ou fazem um preparado especial contendo açúcar, água,mel e outros ingredientes.
O iniciante antes de qualquer coisa deve primeiro conversar com meliponicultores experientes e também consultar por exemplo o site (www.ib.usp.br/beesp/ ) no qual é possível identificar quais são as abelhas mais adequadas para a criação na sua região.
Não sou contra os meliponicultores que criam ASF provenientes de outras regiões do Brasil, mas no meu caso a experiência não foi boa porque apesar de todos os cuidados as abelhas não se adaptaram e foram definhando e morreram, mesmo com todo o cuidado e atenção que eu tinha com a alimentação, controle da umidade, forideos, espessura da madeira da colmeia, etc., houve perda dos enxames, dinheiro e tempo e a frustação.
Realmente a beleza de algumas espécies que não existem na região  podem nos induzir a um erro de avaliação, na hora da escolha das espécies que irão compor o meliponario!
B) LOCALIZAÇÃO DO MELIPONÁRIO
O meliponário deve ser localizado, se possível em um terreno plano aonde  existam arvores que possam servir de sombra e proteção contra os ventos para o conjunto de colméias que irão compor o meliponário.
Caso você esteja pensando em implantar o meliponário em uma area rural escolha um local próximo de riachos, córregos e nascentes que forneçam água potável e fiquem afastados de galinheiros, currais ou pocilgas porque algumas ASF tem o habito de coletar as fezes de aves e animais destes locais para construir/identificar com odor a entrada do ninho.
Uma outra alternativa é utilizar a própria estrutura da residência (Varandas, galpões) como locais para fixar as colméias que não devem pegar sol diretamente.
C) QUAL O TIPO DE ASF PARA SE COMEÇAR UM MELIPONÁRIO?
A espécie mais indicada para iniciantes é a abelha jataí que é uma abelha dócil e de fácil manuseio não esquecendo de manter uma certa distancia (1 metro) entre as colméias.
As caixas devem ser pintadas de cores diferentes que facilitam a identificação por parte das abelhas.
O pedestal que vai servir de suporte para as colméias deve ter uma altura mínima de 50 cm do chão.
Projete uma espécie de reservatório ao redor do pedestal para proteger as abelhas do ataque de formigas!
Com a evolução do aprendizado o meliponicultor pode criar outras espécies se  existirem na região como a mandaçaia, irai e outras.
D) PASTO (FLORA) APICOLA
As flores são essências para o sucesso do meliponario. Para isto é necessário que o meliponicultor iniciante observe quais as espécies de plantas/flores que forneçam pólen e néctar a maior parte do ano no local. Não esqueça de registrar a época da florada das espécies e montar um calendário apropriado para a sua região.
Contribua com a natureza melhorando o pasto apícola ao redor do meliponario plantando espécies que sejam benéficas para as abelhas (asf).
Existem espécies de plantas que além de fornecer o pólen e o nectar também produzem frutos que certamente podem fazer parte da mesa do meliponicultor tais como; pitanga, goiaba, araçá,carambola,ameixa preta, laranjeira, limoeiro, pêssego, tangerina, tamarindo.
O meliponicultor iniciante também deve se informar se na sua região existem plantas que sejam toxicas para as ASF como o mulungu (tília ssp)barbatimão (stryphnodendron adstingens), tulipeira do gabão (spathodea campanulata), cangará-canê (tanaecium nocturnum).
E) Quantas caixas devem ser instaladas por meliponário
O que vai determinar a quantidade de caixas/meliponário é o pasto apícola da região e o tipo/quantidade de abelha/colmeia que se pretende criar. Para que o meliponicultor possa dispensar uma atenção melhor para as abelhas é de 90 caixas para abelhas pequenas, 80 caixas para abelhas médias e 50 caixas para abelhas grandes (uruçu)

Nenhum comentário: